Aumente as suas vendas no Ecommerce com essa dica

Para você que vende no Mercado Livre e se sente limitado com o processo que este e outros sites comerciais impõem, saiba que há vida mercante fora deste domínio.

É inegável que eles oferecem múltiplas oportunidades para que venda se concretize, fazendo, inclusive, publicidade dos produtos e dando etiquetas de envio, a ponto de você achar que não precisa fazer marketing para estar ali.

Mas não é bem assim que as coisas funcionam. Toda essa facilidade tem um custo e a taxa que eles te cobram não é baixa.

Num recente bate papo com Bruno de Oliveira, fundador do Ecommerce na Prática e maior especialista do tema no Brasil, entendemos que é preciso conhecer como realmente funcionam estes sites para fugir das armadilhas escondidas neles. Por exemplo, nem todo mundo sabe que a taxa cobrada pelo Mercado Livre quem vende produtos que custam abaixo de R$ 100,00 é mais pesada do que a recolhida para aqueles que vendem produtos mais caros.

O desafio de todos os vendedores, inclusive daqueles que já têm resultado, é não ficar exclusivamente na dependência do site para alcançar seus objetivos comerciais. E sabe qual é a solução para isso? Desenvolva seu próprio canal de vendas e continue comercializando dentro dos outros sites, como o Amazon B2W e qual mais te interessar. O ideal é que faça seu ecommerce agregar a todos os canais juntos.

O primeiro passo é montar a sua própria loja e faça isso utilizando o mesmo nome que usa nos sites de vendas conhecidos, para que seu cliente possa te encontrar com facilidade quando for pesquisar no Google. Essa é uma técnica que chamo Padrão FIFA. Agregue a ela a vantagem de ter sua logomarca nos dois locais.
Você sabia que o Mercado Livre permite que insira a imagem da sua tipologia na terceira ou quarta foto do produto anunciado? Faça isso, para ajudar o comprador a identificar o seu logotipo em qualquer lugar que esteja. Esta ação o deixará confortável, levando-o a entender que não importa onde está comprando, porque ele sabe que está adquirindo um produto no seu ambiente.

Ainda é importante entender que leva anos para ter resultado de vendas e lucratividades consistente. É necessário dedicação e tempo para crescer, especialmente para aqueles que trabalham com marketplace. Esta é uma área que exige demais da pessoa e sobrecarrega, por isso, quem não tem tempo para se dedicar, precisa montar uma equipe para ajudar. Se for preciso, crie um orçamento dentro da empresa para poder bancar esse time e saiba que a médio e longo prazo, essa equipe vai se sustentar sozinha, construindo um novo canal de vendas extremamente lucrativo, mais seguro e mais duradouro para o seu ecommerce.

Para alguns pode parecer um grande desafio, mas volto a afirmar que o maior benefício que terá nesse meio é dentro do seu próprio ambiente, do espaço que chamará de casa, a sua loja virtual. O Mercado Livre é como uma área alugada e a Loja Virtual é a sua casa, aquele espaço que te dá segurança.

Outro ponto importante a se destacar é que existe um tempo de maturação para a sua loja, que só será alcançado com muita dedicação de todos os envolvidos no seu time, tanto para fazer seu ecommerce crescer quanto para aprender coisas novas. Se nos grandes sites de comércio você não precisa ser um especialista em marketing, será diferente na sua loja. Nela, será imprescindível saber, por exemplo, a gerar tráfego e visitas, seja por meio do Facebook, do Google e outros de comparadores.

Se acha q não tem tempo ou aptidão para lidar com as questões de marketing, considere contratar um especialista em tráfego para sua equipe, alguém que possa fazer isso por você. O importante é que se trabalhar direitinho, sua loja crescerá com uma boa reputação e sua marca ganhará credibilidade.

É isso o que deseja? Então siga essas três dicas valiosas:

1. Quando falamos em loja virtual, tem mais sentido ter um leque diversificado de produtos do que ser especialista em um determinado artigo. Então trabalhe com um portfólio amplo, mas saiba qual é o seu nicho. Para isso, faça uma lista dos produtos que mais vende e dos que mais lucra. Mescle 10 ou 20 itens, valide-os, alavanque-os e depois comece a incluir outras mercadorias;

2. O vendedor que já trabalha com marketplace e que realmente quer abrir uma loja virtual deve saber que a plataforma não é fator crucial para o sucesso. Ela apenas é o meio para realizar vendas. Existem as mais indicadas, mas é preciso usar a estrutura que você já tem hoje, por exemplo, quem comercializa no Mercado Livre já utiliza um ERP, um integrador. Assim, utilize uma plataforma que integre bem com o ERP que você trabalha e de onde consiga gerenciar o estoque de tudo isso de maneira uniforme, te dando mais liberdade para agir e consumindo menos tempo.

3. Não contrate uma plataforma cara. Invista numa estrutura simples. Hoje é possível pegar uma Tray e encontrar todas as funcionalidades nela, podendo até usar o template padrão. Como Bruno disse: “use essas plataformas, conquiste o volume desejado, venda seis ou sete dígitos por mês e só então pense numa plataforma mais robusta, que te permitirá maior customização e funcionalidades específicas. O mercado de ecommerce hoje é muito democrático, sendo possível começar essa estrutura investindo pouco e tendo um custo baixo todos os meses”.

Se você vende marketplace, saiba que já faz o mais difícil. Caso a sua loja virtual não esteja comercializando da forma que gostaria, o problema pode não ser a plataforma e sim falta de investimento em seu ambiente.

Aproveite o faturamento do marketplace e mude isso agora.

Vídeo sobre o assunto:

Veja as 3 técnicas que uso para faturar mais de 500 mil reais somente no Mercado Livre

Download Grátis!
100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!